"Aprender é a única coisa de que a mente nunca se cansa, nunca tem medo e nunca se arrepende." (Leonardo da Vinci)

Encomendas e informações:

andreiarqv@gmail.com

domingo, 11 de julho de 2010

Tulipas

Uma das boas coisas de se fazer craft é poder produzir presentes para ocasiões diversas. Fiz esse vaso de tulipas em barro para a tia do meu marido que aniversaria hoje... Felicidades Marlene, tudo de bom, saúde, sucesso e paz!

sábado, 10 de julho de 2010

Camisetas Patchcolagem CupCake

E dá-lhe bolinho... hehehe

Toalha para menino

Pois eh, produzir peças para meninos não é algo simples como parece porque, ou vc cai na mesmice, ou vc fica limitado para criar visto que não podemos usar os frufrus que normalmente usamos e abusamos para meninas como laços, sianinhas, bordados etcetera e tal...

Então aproveitei a encomenda da Sabrina que pediu uma toalha verde para o Caio e fui xeretar nos meus tecidos com a intenção de combinar estampas e tons... e deu nisso aqui:
Gostaram?

bjussssssss

Quero hoje mandar um beijo para a Franciele do Cafofo da Fran por sempre vir aqui me visitar e deixar comentários fofos... bjus florzinha...

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Blusa infantil em patchcolagem

Essa foi para uma menina muito linda, a Raphaelle... a mamãe Raissa adorou esse tema de Cup Cake, que aliás é a febre do momento em festas, roupas, desfiles de moda...

domingo, 27 de junho de 2010

Artigo sobre artesãos publicado no site da revista Caras

A volta do artesão

Para recuperar a aura de exclusividade, grifes investem no trabalho feito à mão por especialistas

A produção em massa desviou os holofotes de tudo aquilo que era luxuoso. Mas, aos poucos, as pessoas se cansaram da mesmice. E hoje, quase na virada da década, estamos diante do renascimento do artesão. Um profissional que, acima das leis de mercado, faz o que sabe e se orgulha disso. Em um mundo onde as relações estão cada vez mais intermediadas - livros em leitores eletrônicos, amigos em
redes sociais virtuais, compras on-line - é raro ter algo palpável, que tenha sido feito por alguém de verdade e possa te acompanhar. No século 19, o designer e filósofo Willian Morris disse que a alma do artesão está no produto que ele faz. E é isso que torna suas criações únicas.

Desde que abriu seu ateliê, há dez anos, a joalheira Patrícia Centurion desenha, supervisiona e vende as cerca de 200 joias produzidas por ano. "Minha presença é um diferencial", diz. Aproximidade com os clientes faz com que eles se sintam à vontade para perguntar coisas que, em outras circunstâncias, não perguntariam. "Às vezes, eles querem entender por que um anel de citrino custa mais do que um de diamante ou por que dois rubis têm preços diferentes", diz a joalheira. "Entender como a joia é feita aumenta a satisfação na hora da compra, porque a pessoa leva exatamente o que queria", afirma.

Outra vantagem do trabalho feito à mão, sob medida, é a possibilidade de brincar com materiais e formas. "Há coisas que não se consegue fazer com máquina", diz Cristiano Rodrigues, designer de sapatos da Zeferino. Seus calçados são cheios de pregas, origamis, dobraduras, rendas francesas e até tachas de pérolas. "O que nós fazemos é alta-costura", diz Rodrigues. Um escarpim básico demora dois dias para ficar pronto. Apenas um bordado com rebites gasta metade desse tempo. O produto final é mais fino, com pontos mais sutis, um shape mais delicado e confortável.

Com a recente crise mundial, a Louis Vuitton mudou sua estratégia e voltou a destacar os artesãos. Três deles, inclusive, estavam nas campanhas publicitárias impressas da grife. E em seu histórico e tradicional
Atelier de Asnières, perto de Paris, a Louis Vuitton faz uma distinção entre pedidos feitos sob encomenda e feitos especialmente. Os primeiros representam um serviço exclusivo, que permite que determinados
itens da coleção permanente sejam reinterpretados em outros materiais. Mas os outros são, verdadeiramente, especiais. E únicos. São o resultado da união entre os desejos dos clientes, as técnicas e normas de design da marca e o talento extraordinário de seus artesãos. Todo o departamento é supervisionado por um artesão particularmente importante, Patrick-Louis Vuitton, representante da quinta geração da família que fundou a marca, no século 19.

Especialmente dentro do mercado de luxo, as pessoas têm procurado cada vez mais produtos exclusivos que as diferenciem das outras e que tragam status e satisfação pessoal. "O relógio de pulso é ideal para isto, pois, diferentemente de um quadro ou de um carro, pode acompanhar o dono e ser até um patrimônio familiar", diz César Rovel, especialista em relógios e editor do website Relógios & Relógios. De olho nesse filão, a indústria suíça, a mais tradicional no assunto, tem investido na alta relojoaria. Mas não somente na produção de peças cada vez mais mecanicamente
sofisticadas, como também na revitalização de antigas técnicas de decoração, como o esmaltado e a gravação.Os recém-lançados Vacheron Constantin Métiers D'Art, por exemplo, possuem mostradores
laqueados manualmente que levam mais de três semanas para serem feitos.

O status de obras de arte é merecido, afinal, não é tarefa fácil encaixar até mil peças em um finíssimo mostrador de relógio. O custo é alto, mas materializar o tempo, os desejos, as diferentes personalidades e o conforto nunca foi barato. Felizmente, no mercado há lugar para todos. E
a excelência volta a ganhar espaço. No fundo, objetos assim, minuciosamente trabalhados, são um símbolo da capacidade realizadora do homem.

Toalhas personalizadas patchcolagem t

Seguem fotos das mais recentes produções

Blusas Brasil

Seguem algumas baby looks e camisas infantis que fiz na técnica da patchcolagem...

Essas acima foram para a amiga Kika e sua filha Louise...


Já essas são da amiga Jô e da sua filha Julinha...e a de baixo para a amiga Adriana...


Um mimo que fiz para meu filhinho...


Olha ele aí , de modelo da mamãe...

Reformulação da minha marca...

Pessoas lindas, venho mostrar a vocês como ficou minha nova marca de artesanato. Sempre fui uma apaixonada por embalagens de presentes e quando me vi fazendo artesanato pensei logo em como embalaria as minhas encomendas... Solicitei à talentosíssima Claudia Ferrreira, que conheci através do orkut, que fizesse para mim os layouts, utilizando como pano de fundo as cores do meu blog... vejam com ficou meu cartão de visitas:


Ainda mandei fazer cartões de/para, selinho autoadesivo e tag boleada...

Aguardo os comentários de vocês... bjusssssssssssss

sexta-feira, 28 de maio de 2010

A mais recente produção

Mais uma leva de toalhas prontas, o sentimento de terminar é tão bom, só quem artesanato faz sabe do que estou falando...

Essa foi a encomenda da assessora em educação da escola do meu mais velho, pediu para a netinha...
Minha vizinha Fernanda também pediu três para sua filhinha Sophia. Umabebê fofa que cresce a dia dia mais e mais saudável
Essa aqui foi a encomenda da Nívea, prof da escola em que trabalho, para presentear a neném de uma outra professora, Raquel, que deu a luz à pequena Maria Clara na semana passada e passa muito bem!!!

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Tecidos

Mais alguns tecidinhos... comprei um azul liso pois estou recebendo encomendas de toalhas para meninos...

Cartinha pro papai Noel, hehehehe

Então gente, fui à loja de tecidos com meu bebê... Pai do Céu Amado... pensem numa criança de dois anos num estabelecimento como esse... NUNCA MAIS!!! Mas eu não tinha com quem deixar, então levei mesmo... vou providenciar um sling sem argolas, quem sabe eu mesma faço, quando Papai Noel passar aqui e deixar a minha Singer que tô pedindo a ele, hehehehe

Minha cartinha seria assim:

"Querido Papai Noel:

Você deve estar percebendo o quanto estou boazinha e organizadinha. Não tenho reclamado de varrer a casa centas vezes por dia e mesmo quando eu acabo de deixá-la toda arrumadinha e meu bebê vai lá e derrama suco ou biscoito. Não tenho gritado mais, lavo a louça sem reclamar, tenho feito janta, estendido a roupa e esfregado as golas imundas das blusas do meu marido e isso tudo Papai Noel , SEM RECLAMAR!!! Estou mais tolerante com meus alunos e não levando tudo a  ferro e fogo. Meu mais velho tá na adolescência.... Tudo bem que eu ainda não consigo tolerar a TV o domingo todo no futebol, mas tô me esforçando e além do mais não sou perfeita, né? Por isso bom velhinho eu acho que mereço que o senhor passe aqui e deixe a minha Singer que eu tanto quero e preciso. Se quiser se adiantar para não ficar muito atolado e passar antes do Natal tem problema não tá?"

E aí gente, vcs também acham que eu mereço ou não a minha maquininha???

Alguns de meus tecidos

Pessoas lindas e queridas que me visitam... resolvi apresentar alguns dos tecidos que disponibilizo para realizar o meu artesanato. Dessa forma creio que fica melhor para vocês poderem escolher as estampas das aplicações em blusas, das toalhas de mão e dos fuxicos que me encomendam, ok?
Sempre que tiver tecido novo venho mostrar, tá? 
bjussssssssssss

Fuxicos Brasil indo viajar para o interior de SP

Esses estão indo para uma amiga virtual chamada Aninha... Ela encomendou para ela e para a Belinha, sua filhinha de 2 anos e 3 meses (mesma idade do Lipe!) broches e tic-tacs para ajudar a torcer pelo Brasil na COPA 2010!!!

Estou doida para que cheguem logo! Agradeci muito a Deus por estar colocando encomendas pelo correio, sinal de que a Artes D'Andreia está se expandindo pelo nosso Brasilzão!

Obrigada querida Aninha pela confiança e por prestigiar o meu trabalho, tá amiga?

bjussssssssssss

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Pessoal, em minhas andanças por blogs me deparei com esse excelente post no Superziper... 
Que fique claro, o texto abaixo não é meu, ok?

"Vocês que circulam por aqui já devem ter sacado que o ato de fazer artesanato, crafts ou trabalhos manuais (a terminologia mais adequada costuma gerar muita discussão) sofreu uma reviravolta com a internet. O que antes era atividade de vovós ou passatempo de donas-de-casa, pelo menos no imaginário comum, está sendo levado mais a sério como negócio. Fato interessante é que muitas pessoas jovens e bem instruídas, com ensino superior, diplomas e especializações variados, estão se dedicando a fazer trabalhos artesanais e isso parece ser um fenômeno mundial. Juventude e formação acadêmica não garantem necessariamente qualidade, mas certamente introduzem uma nova cara às técnicas tradicionais, que estão, aos poucos, é verdade, deixando de ser vistos como um sub-emprego malfadado para se tornar uma atividade rentável.
Esse novo perfil de artesão foi se consolidando com o surgimento de sites, fóruns, blogs e comunidades online relacionadas ao tema. Muitos aproveitaram a experiência que já tinham em casa, graças às mães, avós e/ou tias prendadas, para se dedicar a algum trabalho artesanal e divulgá-lo pela rede. Outros se utilizaram da própria web e de seus zilhões de tutoriais para aprender sozinhos a dar os primeiros passos, esmiuçar alguma técnica e vender seus produtos. Não sei dizer se há um caminho melhor, mas acredito que o valor individual, a bagagem, o bom gosto e a determinação são mais importantes do que o modo como você dominou algum processo.
O bacana disso tudo é perceber como o trabalho artesanal difundido pela internet provocou uma mudança efetiva na vida das pessoas. Um bom exemplo é o de mães que tiveram que abandonar seus empregos para criar os filhos e encontraram independência e valorização numa atividade manual sem abrir mão do tempo com as crianças. Ok, antes que as mais feministas me lancem um vudu, não acho que se dedicar aos crafts seja um retrocesso, seja coisa de mulher desocupada, de mães desempregadas que aceitaram o trabalho manual como um consolo, como um ato último de resignação, pelo contrário, percebo que muitas encontraram no meio de agulhas, linhas, papéis e tintas uma sensação libertária e prazerosa e que isso as fez desfrutar de mais qualidade de vida, essa coisa tão reivindicada quanto escassa hoje em dia. Digo isso porque ainda há muito ceticismo quando você se anuncia como artesão ou crafter. Há os que pensam que você está achincalhando as conquistas das mulheres no mercado de trabalho e que com a sua formação, você deveria estar vestindo um tailleur preto, subindo o elevador de um prédio bem bacana para uma reunião com a diretoria de uma multinacional. Outros simplesmente acham que você só pode estar brincando, delirando de fome, ou então, pronto, virou hippie!
Bem, esse estado de descrença que paira sobre as cabeças de quem trabalha com crafts denota bem a confusão sobre o papel, principalmente da mulher, nos dias de hoje. O trabalho manual, feito em casa, que muita gente ainda vê como um recuo nas demandas feministas, está sendo abraçado por mulheres jovens, que dão uma cara divertida, moderna e diferente ao velho crochê e tricô, por exemplo, sem que isso seja encarado como uma atividade menor, simplória, de “mulherzinha”.
O legal em reler uma técnica antiga é que o consumidor passa a ver o produto sob outras perspectivas. Aquela toalhinha bordada que ficava em cima da cômoda da sua avó agora tem cores e formas bem mais atuais, saem as tradicionais flores e entram corujas e caveiras, por exemplo (e eu gostaria de saber por que essas imagens são tão recorrentes no Etsy...). Uma rápida vasculhada em sites e lojas especializados em vender esse tipo de produto permite perceber que não há similares nas grandes lojas e nos shoppings. Então uma conclusão banal, mas importante, é que a vitalidade do produto artesanal reside justamente em conseguir se situar fora do mainstream, principalmente da produção massiva globalizante, de ritmo chinês, que fez as coisas ficarem mais baratas e mais iguais, algumas com qualidade bem duvidosa. E é justamente esse traço outsider que fez com que emergissem na rede alguns ditos “movimentos craft” ou até “manifestos craft”, tentando politizar essa nova onda de artesãos, dando a ela um quê de resistência e protesto. Nessa lógica, os crafters se situariam no mesmo terreno das bandas ou dos videomakers independentes. Vejo que os norte-americanos, particularmente, gostam muito dessa visão. No site I buy handmade, há vários links para blogs e sites que tratam de consumo consciente e criticam as grandes corporações. Yes, eu concordo que trabalhar com crafts é, até certo ponto, social e ecologicamente correto, afinal rios não são poluídos, a produção não é alienante e um batalhão de pessoas não é subempregado num chão de fábrica apinhado de máquinas, mas não me sinto nada confortável com esse viés socialista que se tenta promover por lá. Acho exagerado, afinal, de um jeito ou de outro, dependemos das grandes corporações (eu gosto de comprar bons materias, máquinas e utensílios para o meu trabalho!), precisamos de dinheiro, precisamos viver com dignidade e isso é bacana para a economia.
Bom, em vez de ver a coisa apenas por este ângulo social e “consciente”, prefiro pensar que o trabalho artesanal deve ser consumido e valorizado pelo que é em si. Explico: há muitos crafters suprindo nichos que as grandes lojas não atendem, ou seja, entendendo seu cliente e o que ele quer. Se você está prestes a fazer sua viagem dos sonhos e procura um diário de viagens à altura, provavelmente não vai encontrá-lo na papelaria da esquina, mas pode achar um caderno perfeito, feito com papéis especiais, com estampas diferentes e lombada artesanal no ateliê de um crafter ou então, se você quer sair da mesmice e procura aquele vestido com uma gola super bacana e botões vintage garimpados com carinho, vai ver que ele não é vendido nos shopping centers, que geralmente tentam nos enfiar goela abaixo a moda das revistas... E, mais importante: o consumo de objetos craft geralmente implica numa relação direta, pessoal e respeitosa entre artesão e consumidor. Alguns produtos são feitos sob medida, ou seja, há uma pessoa ou uma equipe dispensando seu tempo para atender exclusivamente um cliente. Num mundo cada vez mais impessoal, onde se compra a rodo e a toda hora, acho que consumir crafts aumenta e diversifica as opções de compra, afaga os olhos e faz bem para a alma!
E vocês, o que acham?"

Amei!!! Além do mais, descobri que sou uma crafter!!! Que nada mais é do que um nome estiloso para artesão!

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Caixa multiuso forrada em tecido



Mais uma encomenda pronta!!! Essa vai para Paracambi/RJ. Foi pedida a mim por uma professora da escola onde trabalho para dar de aniversário a uma amiga especial. As filhas dessa amiga já têm produtos de minha autoria em sua casa, pois no final do ano passado a Auxiliadora me pediu uns mini-fuxicos para cabelo de bebê... É  a Artes d"Andreia se espalhando pelos lares desse RJ!!!
Essa é uma caixa em MDF forrada em tecido estilo composé. Adorei o tom violeta das fitas, espero que a dona tb goste!

Fuxicos em verde e amarelo!

Para lhe ajudar a torcer pelo nosso país no próximo torneio mundial de futebol é que resolvi fazer esses fuxicos em verde amarelo: são os meus fuxicos BRASIL, SIL, SIL... rsrs
Podem ser como presilha ou como broche ou até mesmo as flores soltas para vc aplicar em uma camiseta por exemplo.
Estão fofos não estão?

Gostaria aqui de agradecer a todos os meus amigos que têm visitado o blog, Adoro ler os recadinhos de vcs viu?

Bjus

domingo, 9 de maio de 2010

Blusa com boneca Sunbonnet em patchcolagem

Fiz esse mimo para minha mami pelo seu dia. Aliás, todos os presentinhos que dei à ela foram confeccionados por mim!!! Fiz questão... Artesanato tem disso: demonstra todo o carinho que temos pela pessoa para a qual estamos presenteando, pois não é mais uma lembrança entre muitas existentes em qualquer loja por aí.

Bem, estou recebendo encomendas!

Bjus e obrigada pela visita, tá?


Ah e ela adorou!!! Fiquei sabendo pelo nosso querido e amado Google que esse modelinho de boneca é chamado de Sunbonnet Sue ou boneca holandesa...

Aqui vai a fotinha dos mimos que fiz para a mami...

Porta-bijouterias

A caixa abaixo foi encomenda de uma querida professora que trabalhou lá na escola ao longo de todo o ano passado: Fabiane. Leciona Química, é super tranquila e educadíssima. Faz falta no nosso quadro de professores...
Ela me pediu uma caixa com bastante divisórias para dar de presente a sua sogra. Pela primeira vez usei guardanapo num tamanho tão grande. Quem trabalha com isso sabe que não é tarefa muito fácil o processo de colagem do guardanapo de decoupage. Passei a usar uma cola especial e descobri que posso usar o secador de cabelos para retirar as rugas que eventualmente possam se formar na superfície colada...

bjus


sexta-feira, 7 de maio de 2010

A tolha embalada

Percebi que no post anterior esqueci de mencionar quem é a Sophia da toalha em questão. Bem, é a filha da Profª. Conceição que encomendou para sua pequena menina e xodó da mamãe. Fiz uma embalagem bem caprichada, como costumo fazer em todos os artesanatos que confecciono.
Levo muito a sério essa questão da embalagem pois agrega um algo a mais ao artesanato. Sempre gostei, teve uma época que trabalhei um uma papelaria e adorava quando os clientes pediam um produto "para presente".

Sophia querida, espero que goste, mamãe disse que vc está numa fase PINK!!! Caprichei no rosa!

bjussss

Toalhinha personalizada - patchcolagem


Faz um tempo que eu apreciava esse tipo de arte, entretanto nem sabia o nome da técnica. Numa das minhas visitas a armarinhos (amoooooooooo), isso foi sexta-feira passada, fui apresentada à patchcolagem. Pelo nome, uma espécie de patchwork sem a necessidade de se passar costura à maquina, usando um papel colante.
Bem, esse aprendizado tem é história. Fui à rua com meu filho para uma consulta dele às 15:00h, porém saí cedo de casa já que precisava resolver vários assuntos. Pensava em escolher botões para meus fuxicos, entre otras cositas más em aviamentos, mas "esqueci" que estava com uma criança de 2 anos e 2 meses a tiracolo, que não teria a menor paciência de esperar mamãe escolher entre sianinhas e fitas de cetim. Mas eis que voltas aqui e voltas acolá o menino dormiu no carrinho e muito teimosa que sou, voltei à loja e tentei começar a escolher os tais botões. Nisso, papo vai , papo vem, a professora de artesanato do local me ensinou a fazer o tal do ponto caseado, necessário para o arremate desse trabalho. O hilário da situação eram outras clientes entrando na já pequena loja e se deparando com um bebê dormindo em seu carrinho, estrategicamente posicionado num canto. E as donas pedindo que se fizesse silêncio pois eu precisava terminar minhas comprinhas e continuar ali mesmo no balcão a ter minha aulinha básica de patchcolagem. De repente eis que surge até um pão doce... e a hora da consulta chegando e enfim: tudo deu certo! Mamãe leva filhinho ao médico, compra seus aviamentos e ainda aprende mais uma coisa fofa no artesanato!!!

E sigo fazendo arte e contando história...

Bjusssssssssss

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Minhas florezinhas...

Seguindo a linha cada trabalho uma história, espero colher bons relatos dos meus clientes que adquiriram os meus vasinhos de tulipas... Teve a emoção doProf. Raphael ao me encomendar um para a sua filhinha Rafaela, teve o Marquito que vai colocar um presente dentro do vaso e esconder com o musgo (e isso deve ser o presente para sua mamy no domingo próximo Dia das Mães, neh, não perguntei pois fica feio, rsrs), tem a Natacha que vai presentear sua linda sobrinha Laurinha, até D. Selma, a senhora do quiosque próximo à escola, que vai enfeitar sua casinha...
Luceli já me contou que sua mãe amou, achou muito delicado...

E assim sigo, fazendo arte e contando histórias... (curioso que são as minhas duas atividades atuais: professora de Língua Portuguesa e Artesã!!!)

bjus


Minha querida Cristina, professora lá da escola, vai levar essas, no tom coral e no verde, para dar de presente a lguém especial no domingo...
Essa aí no tom rosa vai do papai Raphael para a pequena Rafa...

 
A do vasinho vermelho foi "arrematada" pela prof. Auxiliadora, vai presentear alguém tb...

Grande beijo a vocês que me honram com sua visita e disponibilizam um tempinho para apreciar meus trabalhinhos!!!

Mais uma encomenda especial...

Recebi essa encomenda da querida Tereza. O bom do artesanato tb é isso: conhecer pessoas especiais como ela e que, além do mais, ainda valorizam em muito o nosso trabalho. Tereza me conheceu através do orkut da Fabíola, uma fofa, que conheço desde a infância por conta de minhas idas ao bairro do Jardim Botânico/RJ visitar meu avô e avó. Brincávamos juntas nesses momentos felizes... Então essa ferramenta chamada orkut fez o favor de nos reaproximar.

Acompanhar agora a segunda gestação de Fabíola através das fotos tem sido bem bacana; perceber o quanto ela é dedicada à sua família é encantador...

Bem, a Tereza queria uma caixa personalizada com a foto da Sarinha, uma bebê que havia nascido fazia pouco tempo. Nunca havia feito esse tipo de trabalho. fui buscar programas na internet para edição de fotos e contei com a ajuda da fofíssima Michella, sempre pronta a nos auxiliar nessas questões de photoshop. A conheci na comunidade de bebês do orkut de que participo desde a minha gestação do Felipe.

Nem a distância impediu a entrega da encomenda pois moramos bem longe uma da outra aqui no RJ...
Ela me contou que saicou muito satisfeita com o resultado. Fico tentando imaginar a mãe da bebê se gostou... o que vc acha? será que a presenteada gostou?

Percebe como às vezes uma encomenda tem muita história para contar? essa teve todos os elementos: tempo, espaço, personagem, enredo e a narradora, que é essa que vos escreve...

E é isso que me faz apaixonar cada dia mais pelo artesanato...


Essa foi presente!!!

Essa fiz para meu filho levar de presente para uma colega pela passagem do seu aniversário de 15 anos! Ficou fofa, não ficou?
 Soube que a aniversariante se encantou! E ela não esperava que a caixa estivesse recheada com três tic-tacs de fuxico! Acabou gostando mais ainda!!!

O interior da caixa utilizei a técnica da flocagem, que é usar o pó de camurça...no caso usei o vermelho...
Agora segue a foto dos fuxicos que fiz como lembrança à colega do meu filho e que ela nem esperava  abrir a caixa e haver isso lá dentro...

Sabonete decoupado na caixinha combinando

Esse foi mais um trabalho e um desafio para mim ao usar materiais tão diversos, como verniz vitral, etc. O sabonete pode ser usado normalmente no seu banheiro pois o produto utilizado para envernizar não deixa estragar o desenho decoupado...


quarta-feira, 5 de maio de 2010

Vasos de tulipas

A mais nova febre são esses vasos de tulipas... em tecido, com cacheopot em madeira ou em vasinho de barro, pode ser utilizado como elemento de decoração de ambientes, enfeitar mesas em festas (centros de mesa), ser ofertado como lembrança em anviersário e também em ocasiões como nascimentos, aniversários, batizados... pode também vir apenas uma no vasinho bem como várias, fica a seu critério!!!



Related Posts with Thumbnails